HPLHCM Lisboa
Início > Notícias
.
Reabilitação urbana deverá ser uma das apostas do PLH
Susana Oliveira, LUSA, 12-02-2009

A Câmara de Lisboa ajudou a recuperar mais de 2.000 edifícios e mais de 13 mil fogos na última década, a maior parte no âmbito do programa de apoio à reabilitação RECRIA, segundo dados da autarquia.

De acordo com dados hoje revelados pela vereadora Helena Roseta, encarregue de elaborar o Programa Local de Habitação (PLH) de Lisboa, nos últimos 10 anos foram recuperados 2.218 edifícios e 13.859 fogos.

Ao abrigo do programa Recria - que financia obras de recuperação em casas e prédios degradados que tenham, pelo menos, uma casa cuja renda tenha sido objecto de correcção extraordinária -, a autarquia ajudou a recuperar mais de 1.400 prédios e um total de 9.257 fogos, tendo gasto mais de 10 milhões de euros em comparticipações entre 1994 e 2008.
No mesmo período, as comparticipações para reabilitação no âmbito do programa Rehabita rondaram os 5,7 milhões e quanto ao Recriph (obras nas partes comuns dos edifícios construídos em regime de propriedade horizontal) chegaram aos 473 mil euros.

A Câmara de Lisboa gastou ainda mais de 24 milhões de euros em obras coercivas entre 1994 e 2008.
Segundo dados da autarquia, há em Lisboa mais de 4.600 prédios devolutos, mais de 300 propriedade da Câmara Municipal.

A reabilitação urbana deverá ser uma das apostas do PLH, mas a vereadora Helena Roseta frisa que isso não significará uma paragem completa na construção de casas novas na capital.
"A reabilitação tem resultados mais imediatos, mas pode haver casos, como por exemplo a Alta de Lisboa, onde é possível ainda construir. Não pode haver um dogma nesta matéria", afirmou.