HPLHCM Lisboa
Início > Notícias
Câmara investiu 450 milhões em reabilitação urbana nos últimos 20 anos
SO, Lusa/, 23-03-2011

A Câmara de Lisboa investiu 450 milhões de euros em reabilitação urbana nos últimos 20 anos e pretende reabilitar 7.000 edifícios em ruína e mau estado até 2024, segundo dados hoje divulgados pelo vereador do Urbanismo.

Os números revelados por Manuel Salgado indicam que entre 1990 e 2000 a autarquia investiu 336,5 milhões de euros em intervenções de proximidade, gabinetes locais, apoio social a moradores e senhorios, em pequenas obras dispersas pelos bairros históricos e no programa Recria em obras particulares.

Segundo os mesmos dados, entre 2002 e 2006 foram gastos em intimações, obras coercivas e em intervenções concentradas nas ‘mega empreitadas’ quase 116 milhões de euros.

Numa avaliação das estratégias prosseguidas pela autarquia, Manuel Salgado considerou que “só com obras coercivas e apoios financeiros não é possível dinamizar a reabilitação”.

Os dados divulgados pelo vereador indicam igualmente que para enfrentar o desafio da reabilitação urbana em Lisboa a autarquia precisa de investir a curto/médio prazo 190 milhões de euros, a maior parte em equipamentos municipais (73 milhões), seguidos do espaço público (45 milhões), do património disperso (37 milhões) e dos bairros municipais (35 milhões).

Manuel Salgado apresentou igualmente uma estimativa do investimento privado necessário à conservação/reabilitação em Lisboa e que aponta para 8.000 milhões de euros, 3.000 milhões dos quais em reabilitação profunda.

Com a estratégia de reabilitação que está a ser ultimada, e que segundo o vereador deverá ir a reunião de câmara dentro de algumas semanas, a autarquia pretende investir em ações de maior efeito de arrastamento, acelerar a recuperação do capital investido, permitindo a atualização mais rápida das rendas, reduzir os custos de contexto com a agilização dos licenciamentos e diminuir as expetativas de mais valias com a demolição do edificado.

Para conseguir concretizar a estratégia que está a preparar a autarquia prevê uma mobilização de meios que compreende os financiamentos para o Programa de Investimentos Prioritários de Apoio à Reabilitação Urbana (PIPARU), com um total de 117 milhões de euros, as verbas do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), com 52,5 milhões, e as do jogo do Casino, com 36 milhões.