HPLHCM Lisboa
Início > Notícias
.
Câmara prevê gastar mais de 144 milhões nos bairros municipais até 2020
SO, Lusa, 17-06-2011

A Câmara de Lisboa prevê gastar nos próximos 10 anos mais de 144 milhões de euros para requalificar os edifícios dos bairros municipais, obras que terão um programa próprio que a autarquia vai analisar quarta-feira.
Leia mais, clique no título, e consulte AQUI a proposta

De acordo com a proposta que irá quarta-feira a reunião de câmara, as prioridades de intervenção vão para a conclusão das obras já contratualizadas entre a empresa que gere os bairros municipais (Gebalis) e a autarquia ou incluídas em programas co-financiados por outras entidades públicas, como é o caso das operações do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN)no bairros Padre Cruz e Boavista e do programa 'Viver Marvila'.

Neste grupo de bairros inserem-se o Padre Cruz, Furnas, Pedro Queiroz Pereira, Flamenga e Condado. Outra das prioridades vai para as obras em bairros com mau estado do edificado e que integrem a lista dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP-ZIP) definida pelo município. Aqui estão abrangidos os bairros da Alta de Lisboa Centro, Cruz Vermelha, Armador, Amendoeiras, Casal dos Machados, Laranjeiras, Alfredo Bensaúde, Boavista, Casalinho da Ajuda, Olaias, Quinta do Lavrado, Ourives e Alto da Eira.

A estimativa global das obras a realizar nos próximos 10 anos para requalificação do edificado dos bairros municipais ronda os 144 milhões de euros, mas a autarquia avisa que este é um valor “por defeito”, uma vez que “não inclui as obras de simples manutenção, nem intervenções no exterior, nem obras de reparação ou criação de novas infraestruturas de serviço do bairro”. Também não estão incluídas demolições.

Dos 144 milhões de euros estimados para o período entre 2011 e 2020, a maior fatia (37,4 milhões) está destinada à Zona Norte Oriental da cidade, que inclui intervenções estruturais como as do Bairro do Condado - Zona J, da Quinta das Laranjeiras, do Casal dos Machados, do bairro Alfredo Bensaúde ou das Amendoeiras – Zona I (intervenção no âmbito do programa ´Viver Marvila’), entre outros.

Para a Zona Norte Ocidental da cidade estão estimados 32,3 milhões de euros para intervir nos bairros da Alta de Lisboa, da Ameixoeira, Cruz Vermelha, Pedro Queiroz Pereira, Alto do Lumiar, Charneca do Lumiar, Quinta das Lavadeiras e Alto do Chapeleiro.

Quase 30 milhões estão estimados para a Zona Ocidental da cidade de Lisboa, com intervenções a vários níveis em bairros como o Padre Cruz, que tem uma candidatura aprovada ao QREN, Murtas, Rego, Horta Nova, Telheiras Sul e Furnas, entre outros.

Para a Zona Oriental estão previstos investimentos na ordem dos 24 milhões em bairros como o do Armador, Quinta do Lavrado, Vale de Sto António, Alto da Eira, Alfinetes, Quinta das Salgadas, Marquês de Abrantes e Quinta dos Ourives.

Para a Zona Sul da cidade estão previstos investimentos que ultrapassam os 20 milhões de euros, a aplicar nas intervenções previstas para o bairro da Boavista, Quinta do Cabrinha, Quinta do Loureiro, Ceuta Sul, Liberdade, Casalinho da Ajuda, 2 de Maio e Eduardo Bairrada, entre outros.