HPLHCM Lisboa
Início > Notícias
.
Queremos mudar o bairro
Assinados protocolos com candidaturas escolhidas para programa de bairros e zonas prioritárias
SO, LUSA, 24-06-2011

A Câmara de Lisboa assinou hoje os protocolos de colaboração com os parceiros dos 33 projetos vencedores do programa de apoio a bairros e zonas de intervenção prioritária (BIP/ZIP), que envolve um investimento de um milhão de euros.

Ao todo foram apreciadas e pontuadas 77 candidaturas, que totalizavam mais de 2,5 milhões de euros, verba bem acima do milhão disponível no orçamento camarário para os BIP/ZIP.

“O importante é que as candidaturas têm que resultar de parcerias, ao contrário de outros programas de apoio”, sublinhou na ocasião a vereadora com o pelouro da Habitação, Helena Roseta, realçando que estes serão “bons exemplos” para “dinamizar a energia nos bairros”.

As candidaturas que ficaram fora deste milhão de euros terão de tentar a sua sorte para o ano, já que o programa BIP/ZIP vai continuar, ou candidatar-se a outros programas de apoio da autarquia.

Roseta sublinhou o facto de o programa BIP/ZIP exigir que as candidaturas resultem de parcerias e afirmou: “Não é um programa para cada um pedir dinheiro para si próprio. É para vários parceiros se entenderem em como se pode fazer algo para o bairro”.

Questionada sobre se a verba disponível para o programa este ano (um milhão de euros) não seria curta face aos problemas de Lisboa na área da habitação, Roseta respondeu: “É pouco, mas será com certeza bem aplicado e mais reprodutivo do que muitos milhões que a Câmara gasta em coisas que depois não são tão reprodutivas”.

“O importante é a confiança da Câmara Municipal junto dos parceiros e dos parceiros na Câmara. Aqui são as próprias pessoas que vão fazer, não são os serviços da autarquia”, considerou.

Este programa terá uma equipa pluridisciplinar que fará a ponte entre os parceiros e os serviços da autarquia, de forma a reduzir a burocracia no desenvolvimento dos projetos e a monitorizar a aplicação das verbas.

Os BIP/ZIP abrangem 34 freguesias, foram identificados em função da necessidade de melhoria do ambiente urbano e das condições de vida dos cidadãos, já que são marcados por carências sociais, degradação de casas e abandono do espaço urbano.

O objetivo é que estes bairros sejam alvo de pequenas intervenções, que podem ir da colocação de iluminação à limpeza de graffiti, ao longo de uma década, pelo que o conceito de BIP/ZIP foi introduzido na proposta do novo Plano Diretor Municipal.

O programa prevê a ajuda a projetos que se insiram numa de três tipologias definidas: intervenções pontuais (com apoio máximo até 5.000 euros), serviços à comunidade (até 25.000 euros) e pequenos investimentos e ações integradas (até 50.000 euros).

Este ano, a candidatura mais bem classificada foi a apresentada pela Associação Entremundos e pelo Grupo de Teatro-Cultural Contra Senso, do bairro do Armador, que têm como parceira a Junta de Freguesia de Marvila. A proposta, ‘ReMix – Intervir e Criar’, ronda os 50.000 euros.